top of page
  • Foto do escritorMilena Costa Santos - OAB/PR 100737

A importância do planejamento financeiro para a realização de Inventário e Partilha.

O planejamento financeiro para situações de falecimento de familiares e para a sucessão de bens e direitos é pouco realizado, pois os herdeiros evitam por muitas vezes adentrar nesses assuntos previamente. Com isso, os herdeiros ficam sem saber o que fazer ou por onde começar quando ocorre o falecimento.



Os herdeiros devem fazer o inventário, representados pelo inventariante, para regularizar os bens deixados pela pessoa falecida e realizar a partilha. A não regularização dos bens pode provocar uma série de problemas, além de depreciar o patrimônio, reduzindo o valor deste em relação aos demais que estão devidamente regularizados.


Não é uma situação incomum os herdeiros não possuírem recursos para a realização do inventário. Este fato gera inúmeras complicações, como herdeiros endividados, processos de inventários extensos e morosos, obrigatoriedade de venda de bens para pagamento de despesas/dividas, custas e impostos, patrimônios fragmentados e desavenças. Por isso, é importante o diálogo entre os herdeiros quando a figura do planejamento de inventário surgir como alternativa para diminuir/cessar os efeitos das situações acima mencionadas.


A realização do inventário é necessária devido à determinação legal. Mesmo estando em situação de dificuldades financeiras, é fundamental buscar auxílio de um advogado especialista em direito de sucessões, já que é obrigatória sua atuação.


Todos os herdeiros podem ser representados por um único advogado, de forma que haverá economia se todos contratarem apenas um profissional. Assim, os honorários serão suportados e divididos por todos, igualmente. Para isso, o inventário deverá obrigatoriamente ser consensual.


O primeiro passo para conseguir reduzir o custo do inventário e da partilha é garantir que eles sejam feitos de forma consensual entre todos os herdeiros.


Ocasionalmente, os herdeiros podem não possuir recursos para fazer o inventário integral. Neste caso, é possível que realizem a partilha de determinados bens, deixando para finalizar o processo em momento futuro. Esse novo procedimento é denominado como sobrepartilha.


É obrigatório o acompanhamento do advogado, que orientará os procedimentos a serem tomados de acordo com o caso específico e também na elaboração do plano de partilha, ajudando na estratégia de diminuição dos custos.

Comments


Ativo 1_360x_edited.png
bottom of page